quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Uma ditadura sagrou-se campeã do carnaval carioca

A Beija-Flor de Nilópolis sagrou-se campeã do carnaval carioca na tarde de ontem (18/02), mas por trás do glamour da Sapucaí quem sagrou-se campeã foi uma ditadura africana que perdura por 36 anos. O enredo da escola homenageou as tradições africanas. Porém, segundo reportagem do jornal O Globo, a escola teria recebido R$10 milhões em patrocínio do governo da Guiné Equatorial. Embaixador da Guiné no Brasil desfilou em um dos carros alegóricos e outras autoridades do país assistiram ao desfile em camarotes particulares. A escola de samba não negou nem confirmou o patrocínio, mas o governo da Guiné diz que a informação não procede.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

O impeachment de Dilma: juridicamente justificado, politicamente improvável

Desde o ano passado - antes mesmo das eleições ocorrerem - ouvia-se burburinhos na imprensa e na oposição sobre um possível processo de impeachment da presidente Dilma. Após as eleições algumas manifestações chegaram a ocorrer em favor disso. À época, tudo foi tratado como um velho golpismo da direita ressentida e - deixa eu pensar no jargão - golpista. Entretanto, o ano de 2015 trouxe uma bomba-relógio que já estava armada desde 2014: a Operação Lava-Jato e todo o escândalo do Petrolão. Em 2014 tudo parecia apenas uma crise pré-eleições, mas o escândalo vingou e toma proporções de um maremoto, parafraseando o ex-ministro Ayres Brito. Mas na última semana, o advogado, jurista e professor emérito da Universidade Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e da Escola Superior de Guerra, Ives Gandra, deu seu parecer jurídico favorável sobre o assunto publicado no jornal Folha de S.Paulo.