quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Por mais choques de realidade

A imagem do corpo do menino sírio, Aylan Kurdi, de apenas três anos, à beira do mar, em Bodrum, Turquia chocou o mundo. A fotografia rodou nas edições dos principais jornais do mundo. Alguns com uma cobertura mais honesta, trazendo, neste caso, a foto-notícia como ela é. Escancarando ao mundo questões humanitárias gravíssimas. Outros, sobretudo periódicos nacionais, optaram por amenizar o fato. Trouxeram fotos de menor impacto ou com avisos de conteúdo forte, agressivo. Nesse caso, tentaram, erroneamente, amenizar a realidade. A realidade é ruim demais para ser amenizada. Deve ser, ao contrário, escancarada.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Com Dilma o 7 a 1 é diário

Ano passado, durante a Copa do Mundo, a grande maioria dos brasileiros sabia que a seleção brasileira não seria a campeã do torneio. O time de Felipão não convencia. Teve dificuldades já na primeira partida. Além, é claro, da enorme dependência de Neymar. No entanto, acredito que ninguém esperava o desastre contra a Alemanha. Apesar do mau futebol apresentado, o 7 a 1 era impensável, uma tragédia. E tragédias não são acontecimentos previsíveis, ao contrário.

Em contra partida, o desastre econômico trazido pelo governo Dilma ao país era mais do que previsível. Era uma tragédia anunciada. Dilma, assim como Felipão durante a Copa, está perdida, sem rumo. Em português claro, parece um cego em tiroteio. O resultado: a economia brasileira desaba carregando o país inteiro junto.
Em suma, Dilma trouxe mais um 7 a 1 aos brasileiros. Agora, porém, o desastre é diário, enfrentado por todos a duras penas e não apenas um resultado simbólico. O símbolo é o de que, mais uma vez, o gerenciamento econômico com base na ideologia   fracassou - alguém pensou o contrário?

sexta-feira, 19 de junho de 2015

De dar asco

Ontem (18/06), o viés totalitário e violento da Venezuela foi - ainda mais - esgarçado. Em visita à capital do país, Caracas, uma comitiva composta por senadores da oposição foi impedida de sair do aeroporto. Os senadores, entre eles o ex-candidato à presidência da República, Aécio Neves, planejavam se encontrar com líderes da oposição venezuelana que estão presos. Aos parlamentares foi disponibilizado um ônibus que os levaria do aeroporto à Ramo Verde, local em que Leopoldo López - principal líder da oposição venezuelana - está preso. No entanto, não foi o que aconteceu. Segundo os senadores, : "o ônibus foi sitiado e apedrejado por manifestantes (milicianos eu diria) pró-Maduro". Devido à falta de segurança, os senadores retornaram ao Brasil. O caso pode e deve se transformar numa crise diplomática, caso o Congresso Nacional não assine um atestado de frouxidão. 

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Censura nunca mais

Ontem, (10/06), o Supremo Tribunal Federal, em decisão unânime, decidiu derrubar a necessidade de autorização prévia para a publicação de biografias. Com a decisão da Suprema Corte, escritores estão livres para escrever biografias sem a prévia autorização do biografado ou de seus familiares.

Todos os nove ministros presentes no julgamento acompanharam o voto da relatora da ação, ministra Cármen Lúcia. Em seu voto, a ministra ressoltou: "não se escreve apenas a vida de uma pessoa, mas os relatos de um povo, os caminhos de uma sociedade.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

A campanha do Boticário: muito "mimimi"

Volto a escrever neste espaço após quase dois meses trabalho e faculdade respondem por isso. O que me traz de volta, como não poderia deixar de ser, é o famigerado comercial do Boticário. A peça publicitária gerou polêmica e comentários nas redes - ambos desnecessários. Na verdade, o filme trouxe à tona algo que a cada dia se intensifica na sociedade contemporânea, principalmente online: vivemos a era do "mimimi".

domingo, 12 de abril de 2015

Falando de trote

Na última quinta-feira (09/04), a Tribuna de Petrópolis noticiou abusos que teriam sido cometidos durante um trote do curso de medicina da Faculdade Arthur Sá Earp Neto, FASE/FMP. Segundo os relatos publicados pelo jornal, os calouros eram obrigados a ingerir bebidas alcoólicas e a entrar numa piscina com estrume e restos de comida podre. Segundo um dos relatos, até abusos sexuais já teriam ocorrido em "festas" anteriores.

Ontem (10/04), cerca de 200 estudantes de medicina da FASE/FMP fecharam duas ruas do centro, Dezesseis de Março e Dr. Nelson de Sá Earp, onde protestaram contra a matéria publicada pelo jornal e contra os preços das mensalidades do curso que, segundo os estudantes, seriam abusivos. Segundo os manifestantes, o preço da mensalidade do curso seria de R$5.300,00. Em faixa carregada pelos manifestantes, os dizeres: "trote é tradição". A FASE/FMP, em nota, diz ser terminantemente contrária a qualquer trote vexatório e violento. E acrescentou que incentiva os chamados "trotes solidários".

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Orgia partidária e a falta de uma oposição vigorosa

Ao que tudo indica, DEM e PTB não devem se fundir até setembro. Mas o que espanta é o fato de a rejeição não ter vindo do suposto oposicionista DEM, mas do PTB, da base aliada do governo. Esse namoro entre PTB e DEM confirma duas coisas: a oposição ao governo somos nós - DEM e PSDB têm divergências pontuais com o governo - e a orgia partidária no Brasil não tem limites. E explico.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Parlamentarismo pela porta dos fundos

Nesta semana, a presidente Dilma extinguiu a Secretaria de Relações Institucionais, - menos um ministério, já é um avanço - remanejou Pepe Vargas, ex-titular da pasta, e pôs ninguém menos que o vice-presidente Michel Temer na articulação política do Palácio do Planalto. Na prática, estamos entrando num parlamentarismo pela porta dos fundos. E o controle político do país está nas mãos do PMDB.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Petrópolis foi às ruas contra o PT

Assim como em diversas cidades do Brasil, Petrópolis foi às ruas hoje (15/03). Num dia que deverá entrar para a história. A manifestação que ocorreu hoje foi organizada pelo Facebook e contou com cerca de 3 mil manifestantes, segundo estimativas da Polícia Militar e dos organizadores do evento.  A concentração de pessoas teve início pouco antes das 16:00 - horário em que o protesto se iniciou - na Praça D.Pedro. O protesto durou pouco mais de 1 hora e 40 minutos. Manifestantes marcharam por variadas ruas do Centro Histórico. Ao fim, os manifestantes se dispersaram na Rua da Imperatriz, na altura da Câmara dos Vereadores e do Centro de Cultura Raul de Leoni. A manifestação contou com o apoio de caminhoneiros, que levaram caminhões com cartazes em protesto ao governo Dilma. Segundo a PM, nenhum ato de violência foi registrado no Centro Histórico e a manifestação ocorreu pacífica.

segunda-feira, 9 de março de 2015

O PMDB na ofensiva

Na última sexta-feira (06/03) o ministro Teori Zavascki, do STF, quebrou o sigilo das investigações da Operação Lava Jato e divulgou a lista com os nomes de todos os políticos citados nos depoimento de delação premiada. Caciques políticos como o Presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e o Presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) estão na lista. Além deles, importantes lideranças do Palácio do Planalto no senado, como o ex-candidato ao governo do Rio, senador Lindberg Farias (PT-RJ) e a também senadora e ex-candidata ao governo do Paraná, Gleisi Hoffmann, também estão na lista. Assim como ocorreu logo depois do julgamento do Menasalão, quando o governo quis aprovar a PEC 137, o Ministério Público e a Polícia Federal podem receber retaliações do Congresso. Com tantos caciques políticos investigados, o MP deve se cuidar. O Congresso não vai deixar barato.

quarta-feira, 4 de março de 2015

O inferno político de Dilma

O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), colocou lenha - e muita lenha - no inferno político vivido pela presidente Dilma nesses primeiros meses de seu segundo mandato. Anteontem (2/03), o senador se desconvidou e não compareceu a um jantar entre a presidente e lideranças do PMDB no Palácio do Planalto. Ontem, Renan devolveu à presidência da República uma Medida Provisória que aumentava a carga tributária da folha salarial de 59 setores do país. Ao todo, o aumento de impostos chegava à expressivos 150%. Com o aumento o governo federal busca arrecadar pouco mais de R$5 bilhões em 2015 e quase R$17 bilhões em 2016. A MP era fator importante do ajuste fiscal pretendido pelo governo. A MP, agora, volta em forma de Projeto de Lei e deve ser votada e aprovada pelas duas casas do Congresso para que entre em vigor. O que, no melhor dos cenários e humores políticos, leva tempo. Coisa que o governo não tem.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Uma ditadura sagrou-se campeã do carnaval carioca

A Beija-Flor de Nilópolis sagrou-se campeã do carnaval carioca na tarde de ontem (18/02), mas por trás do glamour da Sapucaí quem sagrou-se campeã foi uma ditadura africana que perdura por 36 anos. O enredo da escola homenageou as tradições africanas. Porém, segundo reportagem do jornal O Globo, a escola teria recebido R$10 milhões em patrocínio do governo da Guiné Equatorial. Embaixador da Guiné no Brasil desfilou em um dos carros alegóricos e outras autoridades do país assistiram ao desfile em camarotes particulares. A escola de samba não negou nem confirmou o patrocínio, mas o governo da Guiné diz que a informação não procede.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

O impeachment de Dilma: juridicamente justificado, politicamente improvável

Desde o ano passado - antes mesmo das eleições ocorrerem - ouvia-se burburinhos na imprensa e na oposição sobre um possível processo de impeachment da presidente Dilma. Após as eleições algumas manifestações chegaram a ocorrer em favor disso. À época, tudo foi tratado como um velho golpismo da direita ressentida e - deixa eu pensar no jargão - golpista. Entretanto, o ano de 2015 trouxe uma bomba-relógio que já estava armada desde 2014: a Operação Lava-Jato e todo o escândalo do Petrolão. Em 2014 tudo parecia apenas uma crise pré-eleições, mas o escândalo vingou e toma proporções de um maremoto, parafraseando o ex-ministro Ayres Brito. Mas na última semana, o advogado, jurista e professor emérito da Universidade Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e da Escola Superior de Guerra, Ives Gandra, deu seu parecer jurídico favorável sobre o assunto publicado no jornal Folha de S.Paulo.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

A crise hídrica: um problema de má gestão

A dramática situação dos reservatórios na região Sudeste intriga muita gente - inclusive eu. A resposta mais comum ouvida na imprensa sobre a seca na região - fundamentada por alguns especialistas e por uma reportagem do Fantástico - é a de que é tudo culpa do desmatamento na Amazônia. Estamos acabando com nossos "rios voadores", como dizem alguns. Como é sabido que o pulmão do mundo não reside na floresta, trataram de buscar outra designação para ela, a "bomba de umidade do Sudeste". No entanto, há motivos para crer que os problemas atualmente vividos pelos habitantes da maior região do país têm um caráter de gestão política, mais do que climático.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O eleitor foi um idiota em 2014?

Ano passado a campanha de Dilma durante as eleições foi incisiva. Deixou claro o que aconteceria sob a administração dela e sob a administração tucana, caso Aécio vencesse.  Dilma disse claramente: " Apagão é coisa da turma do Aécio. Não acontecerá de novo." ela disse o mesmo para o racionamento de energia. A presidente disse também que não haveria o "tarifaço". Enfim, Dilma colocou Deus e o Diabo na conta do PSDB e disse que tudo voltaria se Aécio vencesse as eleições. Um maniqueísmo político que, infelizmente, funciona bem no Brasil. No entanto, passados 22 dias do início de seu mandato, Dilma faz exatamente o que condenou. O que prometeu não fazer. O que disse que a oposição faria.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Je suis Charlie: todos contra a morte da liberdade

Na última terça-feira (7/01) a liberdade de impressa, a liberdade de expressão - preceitos básico do mundo democrático e civilizado - sofreram um duro golpe; doze pessoas, entre eles jornalistas, cartunistas e policiais, foram brutalmente assassinados num atentado terrorista à revista semanal Charlie Hebdo. Detalhe, um dos policias mortos, Ahmed Merabet, era muçulmano, o que apenas reforça que o que move grupos como esse é o fanatismo. Foi o pior atentado terrorista em 50 anos no território francês e o pior no mundo desde o 11 de setembro. As vítimas foram mortas no exercer de suas profissões e por exercer com rigor o direito de criticar tudo aquilo que deve ser criticado. A revista já havia sido alvo da fúria dos fanáticos islâmicos quando em 2011 publicou uma charge que satirizava o profeta Maomé.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Em ano de ajustes fiscais, por que não cortar benefícios de parlamentares?

O ministro da fazenda Joaquim Levy tomou posse ontem (5/01) no Ministério. O ministro, que já sinalizava ajustes fiscais, reiterou seu compromisso de pôr as contas em dia. No fim de 2014, o Governo Federal anunciou mudanças nas regras para obtenção de seguro desemprego, auxílio-doença e pensões. A medida visa economizar até R$18 bilhões por ano. O ministro disse ainda que os tributos devem subir. As medidas anunciadas são necessárias e devem ser implantadas a fim de garantir a saúde fiscal do país. As mudanças nas pensões, auxílio-saúde e no seguro desemprego são racionais e não representam qualquer perda de direitos. São mudanças que há muito já deveriam ter sido implementadas. Porém, tais mudanças não afetam uma classe de funcionários e beneficiários também altamente custosa ao país: a classe política, desde os que ainda estão exercendo seus mandatos até ex-governadores e ex-primeiras-damas.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Hoje a festa é sua...

     Depois de duas semanas que mais pareciam cinco fins de semanas, chegamos ao tão aguardado ano novo. Se você não segue o calendário ocidental gregoriano, isso não mudou em nada para você, mas se você segue isso continua não significando nada.
     Com a troca do ano, vêm junto às comemorações de fim de ano, a primeira delas é o natal, uma época mágica onde o improvável acontece: pessoas que não se gostam trocam presentes, ateus celebram o nascimento de um ser mitológico, protestantes aprovam o uso de imagens, todos viram consumidores frenéticos, pais enganam os filhos com histórias de um ser mágico que visita suas casas durante a noite e deixa um presente, filhos enganam os pais fingindo que acreditam para ganhar o tal presente, aqueles parentes que você pensava terem falecido aparecem com várias piadinhas sobre pavê e a sua vida pessoal. Enfim, o natal é mesmo uma época onde a magia acontece.
     Nessa data, cada família tem seu costume de festejar. Mas no final podemos resumir tudo em presentes, comida, parentes, comida, bebida e... eu já falei comida?

sábado, 3 de janeiro de 2015

Regulação econômica da mídia: mais um eufemismo petista

No último dia primeiro de janeiro a presidente empossada, Dilma Roussef, deu posse aos 39 ministros que formarão - por enquanto - o segundo mandato de seu governo. Nomes como Kátia Abreu (Agricultura) e Joaquim Levy (Fazenda) deixaram alas de sua base aliada e de seu próprio partido descontentes quando anunciados. Alguns chegam a dizer que é uma formação ministerial para nenhum tucano reclamar. No entanto, o PT tratou de abocanhar ministérios estratégicos. A bola da vez é o ministro Ricardo Berzoini (PT-SP). Berzoini ficará responsável pelo Ministério das Comunicações. Indicado a pedido da alta cúpula petista, Berzoini tem a missão de, definitivamente, tirar do papel a tão sonhada regulação da mídia. A meta é elaborar alguma resolução neste mandato de Dilma, não há tempo a perder.