segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Um partido totalitário

Poucos dias após o resultado do segundo turno das eleições, o diretório nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) liberou uma resolução política em que cumprimenta a presidente Dilma pela vitória eleitoral. No entanto, a resolução é mais que um cumprimento à presidente reeleita, é uma estratégia de poder. Na resolução, que pode ser lida na íntegra AQUI, o PT dita as bases para os próximos quatro anos de governo e se prepara para as disputas eleitorais de 2016 e 2018. As questões abordadas na resolução, se colocadas em prática pelo governo petista, representam um risco à democracia e ao regime republicano brasileiro.


Privatizar para democratizar

No ultimo dia (8/11) o jornal Folha de S. Paulo publicou uma matéria com a seguinte manchete: Metade dos calouros da USP está entre os 20% mais ricos do Brasil. Segundo a matéria, metade dos alunos que ingressam na universidade têm rendimentos mensais per capta superiores a R$ 1.200,00. O jornal apurou também que 60% dos alunos pagariam mensalidade se fossem considerados os critérios do ProUni. Desses, cerca de 29%  não teriam direito a bolsa segundo tais critérios. Outros 31% teriam direito a bolsa de 50% e somente os 40% restantes teriam direito a bolsa integral. Os números obtidos pelo jornal eliminam o argumento de que universidade pública é um direito de todos, na verdade, é um privilégio de alguns às custas de todos.