sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Eleições 2014: Dilma lidera com folga, Marina cai e Aécio cresce

Pesquisa Datafolha divulgada hoje (19/09) segue a tendência do último levantamento feito pelo IBOPE em relação a Marina (PSB) e Aécio (PSDB), mas não em relação à presidente Dilma (PT).

Pesquisa Datafolha (19/09)

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Eleições 2014: Aécio respira, Dilma oscila e Marina segue em queda

Números divulgados ontem (16/09) pelo IBOPE animaram os "aécistas". Depois de vertiginosa queda nas pequisas, Aécio recuperou 4 pontos percentuais em relação ao último levantamento feito pelo instituto. O candidato tucano aparece agora com 19% das intenções de voto. Aécio foi o único candidato a crescer nessa pesquisa. Marina segue sua trajetória de queda nas pesquisas e Dilma, após sucessivas altas, teve queda de 3 pontos percentuais.

Pesquisa IBOPE (16/09)

domingo, 14 de setembro de 2014

Eleições 2014: Dilma se recupera, Marina perde fôlego e Aécio vê de longe a disputa

 O Fenômeno Marina vem perdendo força semana após semana. É o que pode-se inferir das duas últimas pesquisas de intenções de voto para presidência da república. 

Pesquisa IBOPE (12/09)

domingo, 7 de setembro de 2014

Reforma política: o voto distrital

Neste mês de setembro, aproveitando a proximidade com as eleições, o blog fará uma série de posts acerca de mecanismos institucionais que podem ser alterados para que a reforma política seja concretizada. Neste primeiro post o blog tratará da importância de implementarmos o voto distrital.

O sistema de voto proporcional é o atual modelo de votação na eleição de cargos legislativos (vereadores, deputados estaduais ou distritais e deputados federais). Nesse sistema,o eleitor pode votar em qualquer candidato de qualquer partido que esteja concorrendo em seu estado. Porém, o voto não fica restrito ao candidato escolhido. No sistema proporcional, ao votar  em um candidato, o eleitor vota, indiretamente e sem conhecimento, no partido do candidato escolhido. É o voto "na legenda". O voto na legenda serve pura e simplesmente para acumular votos ao partido, assim o partido terá votos suficientes para atingir o número mínimo de votos exigidos pela legislação eleitoral para que possa eleger um candidato. Se o partido tiver um candidato que consiga muitos votos a chance de esse partido bater a meta de votos aumenta. Desse modo, cada vez que o partido atingir a meta de votos exigidos ele elege mais um candidato, mesmo que esse candidato tenha conseguido um número pífio de votos. É o chamado efeito tiririca. Um candidato elegendo vários candidatos e fortalecendo a bancada de determinado partido. Essa, ao meu ver, é a pior mazela desse sistema.